Escolha uma Página

Classic Strider – Um Passeio Pelo Mundo

por | ago 7, 2017 | Eventos, Social | 1 Comentário

Como mencionamos no nosso último post, na reunião deste mês tivemos a presença do ilustre casal Elizabeth e Fred, que vêm há 3 anos rodando o mundo a bordo de uma Mercedes-Benz 220 S 1957. A convite do nossos queridos Julinho e Emanuel, o casal, que foi apresentado ao Alfa Romeo Clube pelo pessoal do Mercedes-Benz Clube de São Paulo, veio acompanhado do Cláudio Romi, que os presenteou com uma insígnia da Federação Brasileira de Veículos Antigos.

Fred é engenheiro, e trabalhou com manutenção de navios cargueiros e, portanto, entende uma coisa ou outra de mecânica. Nas palavras dele, “depois que se conhece todos os sistemas necessários para o bom funcionamento de um navio, um carro acaba virando uma máquina extremamente simples”. Nascidos na Holanda e erradicados na Nova Zelândia, Elizabeth e Fred se aposentaram e pensaram que, ao invés de ficarem sentados assistindo televisão, seria mais interessante pegar o carro clássico e passear pelo mundo com ele.

Eles iniciaram essa aventura com um passeio pela Nova Zelândia em 2014, e depois colocaram Abel (apelido que deram ao carro) em um navio que levou a 220 S até a costa Oeste dos Estados Unidos, onde rodaram pelo país. Em 2015, ainda rodando pelos Estados Unidos, incluiram também parte do Canadá na viagem, depois dirigiram ao Sul até o México. O Fred contou que alí eles planejavam ficar por coisa de duas semanas, mas acabaram ficando um ano. Eles amaram o lugar e foram ficando…

O mapa com o roteiro ano a ano, de 2014 até 2021, está colado na tampa do porta-malas do carro, mas eles dizem que era uma idéia genérica do que fariam, mas que não estão presos ao roteiro alí. Já alteraram a rota algumas vezes, e garantiram que vão ainda alterar mais, mudando de rumo e não se apegando às datas, se adaptando da maneira que acharem melhor.

Assim é com o carro também, que teve a mecânica toda revisada, além de algumas alterações e melhorias na parte elétrica para suportar um trailer “tenda” e outras medidas para ajudar a encarar as intempéries que eles encontrariam na viagem. A Mercedes Ponton saiu da Nova Zelândia na cor preta, mas chegou ao Brasil com o teto e o capô dianteiro encapados com vinil branco. A alteração foi feita por sugestão de uma pessoa que conheceram em algum lugar da América Latina, para ajudar a diminuir o calor dentro do carro e no motor enquanto eles atravessavam as regiões desérticas.

São muitas histórias, algumas bem peculiares, e isso só do que conseguimos escutar do Fred durante pouco tempo em que eles estiveram no nosso encontro. Muito mais pode ser visto no facebook deles, mas antes de encerrar, aqui vão algumas estatísticas dessa aventura até pouco antes de chegarem no Brasil, livremente traduzidas para o português:

Dias na estrada: 1.073
Quilômetros rodados: 90.823
Países Visitados: USA, Canada, Mexico, Belize, Guatemala, El Salvador, Cuba, Colombia, Ecuador, Galapagos Islands, Perú, Antactica, Chile e Argentina
Parados pela Polícia ou Exército: 57 vezes (parece que os oficiais amam Abel)
Temperatura (min/max): -8 a +45 °C
Consumo de combustível: entre 5,99 e 8,62 km/l
Filtros de combustível usados: 7
Trocas de oleo do motor: 14 vezes
Óleo de motor usados: 89 litros
Suspensão engraxada: 28 vezes
Velas substituidas: 19 (1 com avaria)
Correias substituidas: 4
Peneus substituídos: 16 (carro e trailler)
Sapatas de freio substituidas: 4
Reparos: eixo traseiro (2x), alternador (1x), amortecedores (2x), servo-freio (1x)
Quebrados: GPS (1x), taça de vinho (4x), caneca de chá/café (2x), prato (1x), tela de computador (1x)
Mortos: 1 porco-espinho e 235.176 insetos
Amassados no carro: nenhum
Amassados no pára-choques: 2
Número de discussões: zero